Parceria entre cooperativas fortalece o garimpo no Noroeste Gaúcho

A mineração é movida por sonhos. Todo o garimpeiro deseja encontrar uma grande pedra que vai mudar a sua vida. Para atingir esse objetivo, a atividade extrativista necessita de regulamentação legal, papel que a Cooperativa de Garimpeiros do Médio Alto Uruguai (Coogamai) realiza desde 1990. Conforme o engenheiro de minas Anderson Oliveira da Silva, que é um dos profissionais que dá suporte técnico ao trabalho da entidade, se essa relação de licenciamento fosse executada de forma individual, os garimpos teriam um custo dez vezes maior.


A Coogamai tem como meta oferecer cada vez mais benefícios aos seus associados, por isso, a cooperativa tem uma parceria com a Cooperativa de Distribuição de Energia (Creluz). Esse processo de intercooperação é fundamental para a sobrevivência das duas entidades e, principalmente, da atividade extrativista. “A Creluz fornece, gratuitamente, mudas produzidas em seu horto florestal para a recomposição das áreas degradadas pela atividade minerária. Em contrapartida, a Coogamai mantém o garimpo legalizado em sua área de atuação, o que possibilita trabalho e renda a dez mil pessoas na extração, industrialização e comercialização das pedras preciosas”, explica Anderson Oliveira.


Além disso, a taxa dos associados da Coogamai vem na conta de luz da Creluz – metade dos cooperados adota esse sistema de pagamento –, facilitando a arrecadação. A Cooperativa de Distribuição de Energia também repassa um valor mensal para o pagamento de uma bióloga. Essa profissional é essencial no processo de manutenção das licenças ambientais.


A Cooperativa de Garimpeiros começou recentemente uma aproximação de intercooperação com a Cresol – Sistema das Cooperativas de Crédito Rural com Interação Solidária. “A nossa arrecadação é pequena e temos uma série de gastos. Por isso, a gente sempre precisa de um incremento financeiro para alavancar estudos que impulsionem a atividade”, ressalta Anderson Oliveira.



A COOGAMAI

A cooperativa agrega proprietários e trabalhadores de oito municípios da região Noroeste do Estado: Ametista do Sul, Frederico Westphalen, Rodeio Bonito, Cristal do Sul, Planalto, Iraí, Trindade do Sul e Gramados dos Loureiros. A cooperativa é permissionária dos direitos minerais sobre a extração de ametista, quartzo, ágata, calcita e gipsita.

A atividade dos garimpos é uma das mais importantes fontes de riqueza da região. A cidade de Ametista do Sul é um exemplo. O município, que é sede da Coogamai, tem 80% da sua economia relacionada ao extrativismo mineral. Os 200 garimpos associados à Coogomai movimentam cerca de R$ 5 milhões por mês no Noroeste Gaúcho.